Resenha do livro Te devo uma

Te devo uma é mais uma obra da autora famosa Sophie Kinsela.

Amo os livros dela, porque trazem protagonistas reais, atrapalhadas e divertidas, enfim, gente como a gente, que tem defeitos e precisam passar por situações complicadas para crescer. Um bônus especial é que suas histórias se passam sempre em Londres, cidade que amo e sonho um dia poder conhecer.

Te Devo uma vai contar a história de Fixie Farr, uma jovem inteligente e dedicada que por algum motivo vive se anulando perante a família, principalmente do irmão mais velho, Jake.

Fixie ganhou esse apelido por sempre querer consertar as coisas. Ela não pode ver nada fora do lugar ou com problema, e muitas vezes até tenta ignorar, mas não consegue. Seus pés começam a se mover sozinhos: um passinho pra frente, outro pra trás, um pra frente e outro para trás. E seus dedos ficam tamborilando. Algumas vezes ela até conserta as coisas, outras vezes ela se atrapalha e piora tudo.

Certo dia, num café, algo surpreendente acontece. Ela está observando um estranho na mesa à frente quando ele sai para atender uma ligação, mas não sem antes pedir que ela cuide do seu laptop. Fixie faz o que ele pediu, e ao perceber que o objeto em questão corre perigo, faz o que está ao seu alcance para protegê-lo. Grato, o estranho, que se chama Sebastian, escreve em um protetor de copo que deve uma a ela. Assim começa um jogo muito divertido, pois apesar de não achar que o verá novamente e que nunca cobrará a dívida, o destino faz com que eles se reencontrem novamente.

O problema de Fixie é que, além de ser submissa à família, também nutre um amor de infância pelo melhor amigo do irmão, Ryan Chalker, que está de volta a Londres e à sua vida.

Minha opinião: Achei a história ótima. Apesar de não ser tão divertida quanto outras obras da autora que já li (Os delírios de consumo de Becky Bloom, O segredo de Emma Corrigan, Fiquei com seu número...), há vários momentos de risadas. Mas não foram eles que me prenderam à leitura, mas sim o drama familiar. Pois quem nunca teve relacionamentos complicados com parentes, atire a primeira pedra. Dá raiva ler certas cenas onde ela estava certa, todos os outros errados, e ainda assim ela se anulava e deixava a coisa desandar. Frustrante é a palavra. Me senti frustrada várias vezes com isso. Mas aos poucos ela vai recuperando a sua força, se empoderando, e também percebendo que precisa se impor. Quanto aos mocinhos desse triângulo amoroso, Ryan e Seb, eles próprios revelam cada um seu caráter ao longo da trama. Há várias lições a serem aprendidas também nas questões do coração.

O livro mostra que devemos sim amar as pessoas próximas, mas que há vários tipos de amor, e que o amor exigente, duro, também é uma forma de amor, e para certas pessoas e situações, é o tipo certo de amor.

A capa é uma das mais lindas e me conquistou no ato. O livro tem 420 páginas, mas como a narrativa é fluída, você lê rápido e nem percebe. Somente o começo achei um pouco arrastado, mas é para ambientar bem a personagem no cenário inicial para que a história se desenvolva.

Meu voto é 4,5 estrelas.

Você já leu ou pretende ler a história? Me conte nos comentários.


#Livros #Resenha #Sophiekinsela #Tedevouma #Amoler #Livronovo #Estantedelivros #Literaturaestrangeira #Romance

7 visualizações

RECEBA MEUS EMAILS COM NOVIDADES E PROMOÇÕES

© 2019 Cristiane Broca

  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Pinterest Icon